Usando o check/raise como uma máquina de ganhar fichas – Parte 2

Esta é a 2a parte do artigo onde tratamos sobre os melhores spots de se aplicar um check/raise. Caso ainda não tenha visto o 1o artigo, recomendamos que leia o mesmo agora, através deste link. Nesta 2ª etapa, iremos falar de outros spots onde é possível aplicar o check/raise com eficiência e, ao final, falamos dos efeitos que o uso deste move causa nos jogadores a sua volta.

Um sonho: receber um check/raise estando nuts

Um sonho: receber um check/raise estando nuts

Então, sigamos…

Contra floats

Alguns jogadores leram nosso artigo sobre como aplicar floats perfeitamente, aprenderam como aplicar um float e agora eles estão usando isso contra você :D. Porém, nem tudo está perdido. Sabendo que eles podem fazer muitos floats em boards propícios a isto, você pode aplicar um check/raise turn e mandar o rapaz “flutuar” em outra mesa. Vejamos um exemplo.

CR contra floats

Caso esteja no computador, poderá reproduzir esta mão clicando na imagem

 

Neste spot, o vilão tenta aplicar um float em um board bom para isso, desconectado. Sabendo que o vilão gosta deste tipo de jogada, aplicamos um check/raise turn e levamos o pote. Quando temos razoável equidade (como os draws de straight e flush), o spot se torna ainda melhor.

 

Com grande valor quando o board acertar o range do adversário

 

Vamos direto ao exemplo.

C/R com monstro contra board que acerta range de vilao

Se estiver no computador, poderá ver a reprodução da mão clicando na imagem

O vilão é tight. O flop conecta com o range de mãos dele, porém você acerta uma trinca. Este pode ser um bom spot para aplicar um check/raise, pois é possível que ele não largue um top pair ou dois pares, deixando o pote ainda mais inflado.

Por blefe quando o board acerta seu range

Este é o move inverso ao anterior. Você não acertou nada, mas (pelo range dele) seu adversário também não. Contudo, essas cartas não estão no range de mãos do agressor. Um check/raise poderá te dar este pote imediatamente.

Se estiver no PC, poderá ver a reprodução da mão clicando na imagem

Se estiver no computador, poderá ver a reprodução da mão clicando na imagem

No river, após dar check turn e acertar sua carta na última street

 

Este é um move interessante. Suponha que você tenha um draw no turn, ou mesmo um par quase inofensivo, e tenha dado check nesta street. Por algum motivo, o adversário resolveu dar check behind. De repente, sua carta pouco provável bateu no river (leia mais sobre como jogar no river corretamente neste outro artigo). O check dele do turn pode indicar fraqueza, representando talvez uma mão sem nenhum valor, um draw, ou talvez esteja controlando o pote com um mão de valor médio. Dar check novamente no river tem duas vantagens:

1- as mãos completamente sem valor podem se sentir confiantes em blefar o river, e você ganha uma street de valor, o que não ocorreria se você saísse apostando, pois provavelmente o faria foldar.

2- as mãos de valor médio podem sentir confiança de que sua mão é vencedora e podem fazer uma aposta por valor. Aqui vale uma ressalva: se sua mão for muito forte, algo como o nuts ou perto disso, cabe um reraise para tentar atrair um call que não acredite em sua jogada. Se sua mão é boa mas só é um valor médio-forte (como uma trinca num board muito conectado, com pedidas para flush e straight), recomenda-se apenas o call, pois seu reraise muitas vezes só receberá calls perdendo.

CR river

Se estiver no computador, poderá ver a reprodução da mão clicando na imagem

A desvantagem é que se o vilão for muito passivo, poderá dar um novo check behind e você pode perder uma oportunidade de tentar extrair um pouco mais com um bet. Portanto, avalie os oponentes antes de tentar esta jogada.

Efeitos do uso do check/raise

Após iniciar o uso deste move no seu jogo, alguns efeitos acontecerão em sua mesa por consequência disso. Aqui vão alguns deles.

Você receberá menos cbets

Quando os adversários perceberem que você tem em seu arsenal o check/raise, naturalmente a quantidade de cbets contra você irá diminuir (para saber mais sobre o uso da cbet, leia este artigo). Ou seja, você tem um outro efeito além daquele imediato da jogada: poderá acabar vendo cartas grátis no futuro.

Você receberá menos blefes

O check/raise também inibirá as pessoas de blefarem contra você, pois sabem que você é capaz de agredi-las com um raise.

Poderá se aproveitar do showdown no futuro, mesmo se for ruim

Suponha que uma mão em que você tenha aplicado um check/raise blefando tenha showdown. As pessoas viram que você é capaz de fazer este move. Dai em diante, você poderá tentar aplicar alguns check/raises por valor, pois os adversários estão esperando você utilizar esta ferramenta blefando. E vice-versa. Ou seja, perdendo ou ganhando o pote, você pode se beneficiar de um eventual showdown onde você aplicou um check/raise.

Conclusões

O check/raise é uma jogada que inicialmente aparenta ser simples de utilizar, contudo existem oportunidades específicas para aplicá-lo, e cabe a nós identificarmos essas oportunidades. A leitura dos ranges de mãos dos adversários é um fator determinante para se aumentar as chances do check/raise ser bem sucedido. No momento em que você dominar esta arma, seu jogo dará um salto absurdo de qualidade.

Tire o dia para observar esses spots aqui mencionados e aplicar o c/r neles. Depois volte aqui para nos contar como foi.

Gostou deste artigo? Então se inscreva na nossa lista de emails. Temos mais conteúdos assim para você. Basta clicar na imagem abaixo.

lista RIT


Ainda não ouviu nosso 11º episódio do podcast Run It Twice? Fizemos uma entrevista com Victor Marques, o Vitão. Ouça agora!

Leia também nosso último artigo: Como dar volume ao seu jogo sem perder a concentração

Adicione o Run It Twice em seus favoritos, RSS e agregadores de podcast.

Quem valoriza o autor e o bom conteúdo, compartilha!

Anúncios

4 pensamentos sobre “Usando o check/raise como uma máquina de ganhar fichas – Parte 2

  1. Muito boa as 2 partes do artigo. O jogo realmente dá um salto de qualidade com essa ferramenta. No meu caso, que sou iniciante, tenho certeza que é um salto rumo à lucratividade 🙂 Muito obrigado Rafael e RIT \o/

    Curtir

  2. Pingback: Como identificar e explorar um fish numa mesa de poker | RIT Podcast - Run It Twice - Poker

  3. Pingback: Usando o check/raise como uma máquina de ganhar fichas – Parte 1 | RIT Podcast - Run It Twice - Poker

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s