Usando o check/raise como uma máquina de ganhar fichas – Parte 1

Nas últimas postagens, temos abordado diversos moves que são conhecidos pelos jogadores, porém só são dominados por poucos. Neste novo artigo do Run It Twice, dividido em duas partes, falaremos sobre o check/raise, mais uma arma extremamente eficaz para todos os grandes jogadores de poker. Se você acha que ainda tem algo a aprender sobre esta ferramenta, leia este artigo até o final.

Big_One_Final_Hand___check-raise

Sam Tricket dá um check/raise em Sfandiari no HU do The Big One Drop 2012

Check/raise é o move no qual o jogador da check, receber uma aposta e em seguida aplica um aumento. Esta é uma jogada que pode ser explorada de várias maneiras.  O check/raise em geral representa muita força, mas ele pode ser aplicado tanto por valor quando por blefe. A seguir vamos listar alguns spots onde é possível utilizar o check/raise com bastante proveito.

  • Contra jogadores agressivos

Como já dissemos no último post Descubra como aplicar o float perfeitamente e ser ainda mais lucrativo, jogadores agressivos costumam fazer apostas muitas vezes, bastando perceber fraqueza em seus adversários. Sabendo disso, podemos utilizar o check/raise contra eles. É como no judô, onde você utiliza o movimento do adversário contra ele mesmo. Ao dar o check, o jogador agressivo poderá ver uma oportunidade de levar o pote fazendo uma aposta. Um raise em seguida rapidamente irá dissuadi-lo desta intenção.

Exemplo 1:

Após defender o big com QKo, aplicamos um check raise no vilão agressivo, que abandonará sua mão na grande maioria das vezes.

CR contra vilao agressivo 1

Se estiver no desktop, poderá ver a ação completa clicando na imagem.

Exemplo 2:

Defendemos nossa mão com uma mão que flopa bem, mas não conectamos o flop. Contudo, acreditando que o vilão também não conectou, damos um check raise que o vilão irá abandonar com bastante frequência.

CR contra vilao agressivo 2

Se estiver no desktop, poderá ver a ação completa clicando na imagem.

  • Em boards desconectados

Hoje em dia, todo jogador de poker com um mínimo de dedicação sabe que flops desconectados são bons para aplicar cbets. Falamos mais sobre isso no nosso post O RIT adverte: use a cbet com moderação. Sabendo disso, se nossos adversários forem jogadores razoáveis farão um grande número de cbets em flops desconectados mesmo que não tenham acertado o bordo. Ao dar check/raise em flops assim, você ouvirá o som das cartas sendo descartadas mais vezes do que pode imaginar.

Exemplo 3:

Abrimos de UTG e não conectamos com o flop. Um check/raise no flop irá assustar bastante o oponente, que poderá largar mãos que inclusive acertaram o flop.

CR em board desconectado 1

Se estiver no desktop, poderá ver a ação completa clicando na imagem.

Exemplo 4:

Defendemos o BB com uma boa mão e, no flop desconectado, aplicamos um check/raise.

CR em board desconectado 2

Se estiver no desktop, poderá ver a ação completa clicando na imagem.

  • Em boards fora do range do vilão

Alguns jogadores utilizam tanto a cbet que muitas vezes a fazem sem nem observar direito as cartas que vieram no flop. E podemos utilizar este uso indiscriminado do cbet contra elas.

Exemplo 5:

Se percebermos que nenhuma carta do flop conecta com o range do vilão agressor, podemos dar um check/raise. Dificilmente ele permanecerá no jogo com apenas overcards, podendo fodlar, inclusive mãos melhores que a sua.

CR em board fora do range do vilao 1

Se estiver no desktop, poderá ver a ação completa clicando na imagem.

Exemplo 6:

Pagamos com nosso par baixo mas percebemos uma oportunidade de jogar para além do set value. Dificilmente o vilão conecta com este board, o que nos deixa em vantagem ao aplicar um check/raise.

CR em board fora do range do vilao 2

Se estiver no desktop, poderá ver a ação completa clicando na imagem.

  • Com draws muito fortes

Outra boa oportunidade de aplicar um check/raise é quando você possui fortíssimos draws. Ao receber um cbet, um check/raise como um semiblefe pode ser uma jogada vencedora. Além da equidade que a própria mão te dá, você ainda ganha o pote quando o vilão foldar uma mão melhor que a sua.

Exemplo 7:

Com um forte straight flush draw, aplicar o check/raise pode ser uma boa opção. Se o oponente eventualmente possuir um overpair ou acertar o J, ainda assim você possui 15 outs.

CR com draws fortissimos 1

Se estiver no desktop, poderá ver a ação completa clicando na imagem.

Exemplo 8:

Neste exemplo, defendemos o flop com TJs e acertamos um belo flop. Em caso do vilão ter conectado com o 8 ou 9 do board e resolver permanecer na mão, você possui 21 outs que melhoram sua mão, fazendo do check/raise uma jogada com bastante equidade.

CR com draws fortissimos 2

Se estiver no desktop, poderá ver a ação completa clicando na imagem.

Encerramos esta 1ª parte por aqui. O que achou deste artigo? Deixe sua opinião nos comentários.

Sugestão: Se você ainda não utilizava essas técnicas, tire o dia de grind para aplicá-las e volte aqui para nos contar os resultados.

Edit: A 2ª parte deste artigo você pode ler aqui.

Gostou deste artigo? Então se inscreva na nossa lista de emails. Temos mais conteúdos assim para você. Basta clicar na imagem abaixo.

lista RIT


Ainda não ouviu nosso 9º episódio do podcast Run It Twice? O tema foi Sua família e o poker: amor ou ódio? Ouça agora!

Leia também nosso último artigo: Descubra como aplicar o float perfeitamente e ser ainda mais lucrativo

Adicione o Run It Twice em seus favoritos, RSS e agregadores de podcast.

Quem valoriza o autor e o bom conteúdo, compartilha!

Anúncios

7 pensamentos sobre “Usando o check/raise como uma máquina de ganhar fichas – Parte 1

  1. Pingback: Botões de atalho: Seu maior leak no poker pode ser a preguiça | RIT Podcast - Run It Twice - Poker

  2. Pingback: Usando o check/raise como uma máquina de ganhar fichas – Parte 2 | RIT Podcast - Run It Twice - Poker

  3. Pingback: Como dar volume ao seu jogo sem perder a concentração | RIT Podcast - Run It Twice - Poker

  4. É necessário coragem pra aplicar check/rase por blefe, mas tenho feito de vez em quando e o resultado é como voces disseram surpreendente. As dicas do check/rase e float funcionam na maioria das vezes, por isso compensa. Quando tomar uma volta na cabeça, é fold.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s